Pastos-Bonense Fábio Lima – Aprovado no concurso MPC-PA no cargo de Analista Ministerial/Área Engenharia Civil

 

ENTREVISTA: Fábio Lima – Aprovado no concurso MPC-PA no cargo de Analista Ministerial/Área Engenharia Civil 

“O sucesso que todos esperam é a aprovação. Contudo, é necessário entender que o fator acumulação de conteúdo é deveras importante. Ser aprovado precisa de tempo, esforço e foco, mas também de repetição e repetição e repetição. Perseverem e continuem sistematicamente, com planejamento e muita fé. Torço por todos e admiro o esforço de cada um.” 

Estratégia Concursos: Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é? 

Fábio Lima: Sim. Engenharia Civil. 43. Minha origem é da cidade Pastos Bons, MA.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Fábio: Sempre fui apaixonado pelo serviço público, tanto que logo depois da graduação, meu primeiro trabalho foi nesse segmento. Depois que saí da iniciativa privada em 2017, não tive mais dúvidas de que deveria perseguir com vigor a aprovação em um concurso.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso? 

Fábio: Quando terminou minha primeira atuação no setor público, em 2004, segui para a iniciativa privada e fiquei por bons 15 anos. Atuei em grandes empresas do setor de logística ferroviária, sobretudo em infraestrutura de transportes. Desempenhei cargos gerenciais, fiz gestão de grandes obras, respondi por orçamentos bilionários e liderei equipes que até hoje me orgulham. Quando saí do meu último compromisso, mergulhei com muita fé e bastante foco em meu sonho. Pude colher então o que plantei há algum tempo atrás: a aprovação.

Estratégia: Em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Fábio: Tive êxito em vários concursos, entretanto de forma isolada e com pontuação suficiente somente em algumas fases. Fui aprovado e classificado em dois concursos, até agora. Para o TCE/MG, em 102º lugar e para o MPC/PA (último), em 1º. Ambos na especialidade de Engenharia Civil.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados(as)?

Fábio: Muita gratidão ao nosso Bom Deus e muita felicidade, indescritível mesmo. Sensacional. De uma paz interior muito intensa.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Fábio: Estudo e dedicação para concurso público requerem uma abnegação sem igual. Vida social restritíssima e saída basicamente só com a família, pois nessa, há uma renovação na fonte, na força para seguir adiante. Mesmo assim, não ia a todos os compromissos de família. Despendia muito do planejamento semanal e das metas diárias. Se estavam em linha ou adiantadas, liberado para a programação. Caso contrário, não.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma? 

Fábio: Casado e tenho 1 filho. Moro com minha esposa e em 2019 tive que me mudar em função de minha esposa ter também sido aprovada em concurso público federal.

Minha família sempre esteve muito do meu lado, apoiando com vigor minha decisão e torcendo muito por mim. Posso referenciar minha esposa, que também é seguidora do ramo dos concursos, pôde me trazer suas experiências e me motivar como ninguém.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Fábio: Sou apaixonado pela minha formação técnica. Persegui e lutei por uma aprovação dentro da minha área de formação. Sempre com ofertas de somente 1 vaga, na maioria dos certames, nunca me deixei influenciar por esse fato e fui à luta. Minha recente aprovação em primeiro lugar e, portanto dentro do número de vagas oferecidas pelo MPC/PA, é na área de engenharia civil e acredito que serei muito feliz na serventia pública desse órgão.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso em que foi aprovado? 

Fábio: Estudo de forma dedicada desde 2017. Foram mais de 2 anos de estudo até a minha última aprovação.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Fábio: Concurseiro não espera edital pra começar. Meu preparo sempre foi de forma antecipada e mesmo sem edital específico. Depois de escolher a área, o candidato deve seguir estudando as disciplinas específicas. Como eu adoro engenharia, não tive dificuldades de repetir dezenas de vezes a revisão do mesmo conteúdo. 

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Fábio: Tive a necessidade e ao mesmo tempo dificuldade de encontrar material específico de engenharia civil. Depois de muitas pesquisas e dicas de colegas, cheguei ao Estratégia. O preparo dentro da área específica, ou seja, engenharia civil, devo ao Estratégia Concursos.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? O que funcionou melhor para você?

Fábio: Usei o material específico de engenharia. Tanto o PDF quanto as videoaulas foram simplesmente DETERMINANTES para meu excelente desempenho nas específicas.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Fábio: Não resta dúvida de que a maior dificuldade é mesmo a memorização, com ênfase nas disciplinas que você tem menos interesse ou até mesmo domínio. Em média, estudei de 4 a 6 disciplinas simultaneamente. Em engenharia, especificamente, estudava um tema de cada vez até esgotar. Finalizava o conteúdo com uma média de 20 testes e média performance. Depois, com um intervalo de 10 dias, repetia a disciplina, respondia 20 testes e media novamente o desempenho. Num mesmo ciclo de 10 dias, repetia a matéria. Por fim, já filtrava as de resultado pior para voltar somente nessas num terceiro estágio, já chegando a última semana antes do concurso.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Fábio: Sem sombra de dúvidas, as disciplinas que mais dificultam são as que estão fora do domínio da área de formação do candidato. No meu caso, as disciplinas relacionadas ao direito.

Contudo, enfrentei a dificuldade como desafio e superei as barreiras da memorização buscando casos concretos e jurisprudências associadas aos assuntos. Posso citar a legislação de licitação. Tomei a Lei Geral, a Lei 8.666, entrei no seu detalhe e simplifiquei o estudo com resumos, para então ficar basicamente repetindo de uma forma sistemática. A partir daí os desempenhos não foram menores que 90% de acerto em testes e provas.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Fábio: Minha linha de corte para começar a desacelerar os estudos sempre foi a última semana antes da prova. A tensão e o estresse começam a se intensificar. Autocontrole e atividades alternativas são importantes para driblar parte do incômodo. Pratiquei meditação e atividades físicas como caminhada e corrida leve e sempre tive a véspera da prova como dia de descanso.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Fábio: Enfrentei a prova discursiva com bastante seriedade. Se percebermos o detalhe, veremos que a nota atribuída à prova subjetiva é definidora do resultado, ou seja, em alguns casos é ela que realmente decide nossa aprovação.

No concurso do MPC/PA, tive um resultado excelente. Foi a melhor nota dentre todos os candidatos, 96% de aproveitamento na sabatina. Não tenho dúvidas de que isso foi determinante e me garantiu a “pole” até o final.

Meu conselho é: separem um tempo na programação de estudo e esmerem sua escrita. Colherão um bom resultado com isso. Busquei material específico e treinei muito técnicas de redação, sobretudo dissertação.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Fábio: Sempre há erros. Nos meus primeiros concursos, pesei muito a mão e não reservei, em minha programação semanal, tempo para descanso ou social com família e amigos (mínimo necessário). Isso me levou a uma estafa mental, adoeci e fui parar no hospital. Com isso, comprometi praticamente duas semanas de estudo. Beirei à síndrome de pânico e isso me trouxe uma experiência que pude usá-la para reprogramar minha rota de estudos.

O acerto foi não incorrer novamente no erro citado. Aí eu me encontrei e fui crescendo dia após dia.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Fábio: Dificuldades há em qualquer ambiente e atividades. Perseguir um sonho te dá motivação adicional. Não fiz concurso pensando em estabilidade ou algo similar. Isso é consequência do ofício. Meu desejo é oferecer meus préstimos ao setor público e desempenhar minhas atividades dentro da minha área de formação. Não desistir NUNCA. Esse é o lema. 

O que quero dizer é que perseguir sonhos autênticos e apaixonantes tornam a cruz um pouco menos pesada e desafios mais factíveis. Fazer concurso só por conta dos benefícios aumentam as chances de se frustrar quando no desempenho futuro de seu trabalho.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação? 

Fábio: Indiscutivelmente, minha família continua sendo minha principal motivação para tudo que faço. Nada tem muito sentido se não for associado a esse fim.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Fábio: O sucesso que todos esperam é a aprovação. Contudo, é necessário entender que o fator acumulação de conteúdo é deveras importante. Ser aprovado precisa de tempo, esforço e foco, mas também de repetição e repetição e repetição. Perseverem e continuem sistematicamente, com planejamento e muita fé. Torço por todos e admiro o esforço de cada um. Um grande abraço.

informações 

https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/depoimento/entrevista-fabio-lima-aprovado-no-concurso-mpc-pa-no-cargo-de-analista-ministerial-area-engenharia-civil/




Gostou desta notícia? Compartilhe!


Notícias parecidas
Sobre o Colunista
Quirino Silvano de  Assunção

Jornalista atuante na região do Médio Sertão Maranhense.